17 abril, 2006

Morro de amor - Ivan Pielke

"Tomara que aqueles tempos não voltem
Não conseguiria viver novamente o que me consumia
Aquela força que tinha me deixou como um vento
Hoje se tivesse o amor não me mataria

Com os olhos fechados, cegos de tristeza
Caio em buracos largos, cheios de dor
O resto de minh'alma mostrava o orgulho
Por tê-lo hoje morro de amor

Será que senti demais?
Será que paixão não existia?
Será que se eu não amasse...
Eu morreria?"

Um comentário:

sinara disse...

lindooo!!! lembro qando li isso, tenhu aqi no meu pc!! linda as poesias!
bju guri