28 maio, 2007

O Éden Distante

Construíram um castelo lindo com um quintal maravilhoso, onde havia gramíneas verde e cheia de flores. Construíram um romance de cinema onde não viam fim nem começo. As horas passavam e continuavam parados no tempo onde nada mais importava, além do amor vivido a cada segundo. O fervor da paixão era o fogo que os protegia do frio congelante do outono que mais parecia inverno.

A chuva caiu formando poças d'água. Poças que um jovem cuidou para a princesa não acertar. Iam a busca do destino além das montanhas, onde o Éden se escondia de todos. Era o caminho mais preciso que ambos os corações estavam apontando. Lá, em meio ao jardim existia um pote de ouro. O pote estava bem à frente brilhando entre pepitas de ouro e pedras de diamante. Bastava dar dois passos à frente para a felicidade acontecer da forma mais valorosa e sentimental. O mal ia desaparecer devagar, e subitamente, depois dos momentos de adoração da beleza que o pote esbanjava.

Aconteceu, então, o fenômeno da dúvida humana e dos pensamentos negativos; que chegaram sem pedir licença ao amor. Aqueles pensamentos que já destruíram milhares de corações e de bosques parecidos com do Jardim do Éden. A dor pairava sobre as cabeças de quem duvidava do poder do amor. O arco-íris não mais se via depois das tempestades de insensatez. Os gnomos se esconderam, pois o medo do descaso pairava sobre a terra de quem um dia amou intensamente.

Agora, ninguém sabe ao certo onde o paraíso e as trevas se embretaram. A dúvida de seguir por caminhos claros e escuros comanda os Exércitos da Esperança, rumo ao acaso. Os sonhos, que o romance fundou, ficaram infinitamente mais longes do Éden; ficaram no esquecimento do adeus insensato. Restou, ao nobre jovem amante do coração da princesa, seguir por colinas e bosques desconhecidos; onde contam que existem formas diferentes de amor e vida.
Até os dias de hoje contam que o jovem foi caminhando cabisbaixo com todas suas dúvidas e temores rumo ao desconhecido e perigoso.
Depois muito trazer carinho e amor, ele não deixou saudades no coração de quem um dia o reconheceu como o homem da vida que, um dia, fora eterna.

-Contam que o autor deste conto é o próprio jovem-

3 comentários:

sinara disse...

Encantadora a forma como tu consegue descrevr tudo q tu sente.. Sentimentos, amor, saudade, erro, caminhos.. tudo d uma forma sutil, simples e linda!
Parabens menino

Beiró disse...

Lindo d+

sem palavras, de verdade.


Lindo.



abraços, meu caro,

Jousi disse...

Esse cara segue caminhando. Achará alguém tão belo quanto ele, para quem suas palavras farão sentido.