30 julho, 2007

Vôo com Escudo

Muitos devaneios a realizar
Poucos a deixar pra trás
Há pouco nem pensava
Que um dia eu fosse alcançar

Vôo direto pra onde eu quero
Ninguém além de mim pode resolver
Tudo aquilo que eu planejo e quero ter

Faço piada do passado
Mais propostas pelo caminho
Comemoro por ter suportado
E é por isso que eu não minto

Meu sangue é que me faz bem
Quero mais litros onde eu possa criar
Meu fel é que me faz voar
O escudo que não vivo sem

Um comentário:

silbo disse...

saudações