15 julho, 2008

Você Morreu Pra Mim

"Preciso conhecer a minha cidade
Não agüento mais esse quarto
Onde tudo me sufoca
Preciso conhecer além da porta

As pessoas não mudam
Sempre o mesmo discurso
As coisas são sempre iguais
Aquela coisa pseudo-sentimental

Preciso conhecer a minha mãe
Não agüento mais essa rua
Onde carros batem
Preciso conhecer além das grades

As pessoas não sofrem
Sempre nos mesmos bares
Onde bebem e fumam
As coisas estragam meus pulmões

Preciso conhecer eu mesmo
Não agüento não me ter
Onde tudo é desconhecido
Depois de você ter morrido"

Um comentário:

ARCANO disse...

Você escreve intensamente bem (: