17 janeiro, 2011

Que é felicidade?

Se a felicidade é reduzida a certas drogas, tome-as e seja feliz. O fato é que remédio algum é feliz ou torna alguém feliz. Ele pode auxiliar o corpo a manter relativo equilibrio químico, nada mais.

O tema "Felicidade" é amplo e com diversas visões. A minha é de que felicidade não se conquista, não se compra, não se rouba. Felicidade, segundo creio, não é uma criação da mente, não é mera abstração, não é nenhuma homeostase do corpo tampouco da mente. Felicidade é o desenvolvimento, nossas ações e realizações dos nossos valores de vida, ser humano, Deus. Felicidade não se alcança nem se chega como se fosse ter chegado ao cume. Felicidade é o próprio caminho da vida. Ao caminhar já podemos ser felizes. Felicidade é ter um sentido para viver e realizá-lo. Não é possível dar sentido a vida, mas encontrá-lo e nunca estará em nós mesmos; isso é orgulho, egoísmo, narcisismo. Podemos encontrar sentido no sofrimento, na culpa, na morte, nos problemas diários, ao ajudar alguém, ao cuidar de alguém próximo ou não, realizando uma atividade, construindo algo que seja útil principalmente aos outros, oferecendo uma obra proveniente do nosso intelectual, científico, sentimental...

Quando mais se busca a felicidade, mais erramos o alvo, a meta. Felicidade só existe verdadeiramente como efeito colateral as nossas realizações, não como objetivo principal e único na vida.

"E onde a sorte há de te levar / Saiba, o caminho é o fim, mais que chegar" Rodrigo Amarante

3 comentários:

Jefhcardoso disse...

Ivan, vi o seu comentário no blog do Fabrício então vim ler algo aqui. Tudo bem?
Cara, aproveitando o seu texto eu gostaria de dizer que acho que a felicidade é uma questão de bem estar, bem aceitar, bem perceber, e, acima de tudo, vocação. Sei lá. É o que eu acho.

Abraço do blogueiro Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Ivan Pielke disse...

Opa! É muito bom poder trocar ideias. Que bom que comentou!

Quanto ao que tu levantou... acho que bem estar, bem aceitar (o que/quem?), bem receber, vocação, faz parte de um parte da felicidade, se posso dizer assim, mas não é a totalidade dela.

É a minha visão.

É difícil nomear o que é felicidade, mas pra mim é mais ou menos o que escrevi. Pra ti é diferente.

abraço!

Jefhcardoso disse...

Cara, o que eu disse sobre bem aceitar também pode ser lido como aceitação. Aceitar o que a vida trás. Seja algo bom ou algo não tão bom, ou até mesmo algo ruim.
Quanto à definição de felicidade, acho que é por aí mesmo, algo muito íntimo e pessoal. Valeu?
Obrigado por sua atenção ao meu blog. Apareça uma hora com tempo para ler algo. Abraço!